Ultimas Dicas

Asfalto ou terra, há diferença na condução?

18/02/2021
Asfalto ou terra, há diferença na condução?

Para a grande maioria das pessoas, o percurso diário é sempre realizado em pista asfaltada ou de calçamento, afinal a maior parte da população brasileira vive em zonas urbanas que costumam ter vias pavimentadas. Não estamos considerando aqui as condições dessas vias, que em alguns casos beira o “solo lunar”, mas apenas estamos relatando que em sua maioria, o motorista brasileiro conduz por ruas pavimentadas, o que é bom, mas ao mesmo tempo nos deixa pouco aptos a dirigir por outros tipos de estrada. E quando isso ocorre no vemos em uma condição muito diferente.

 

Levantamos aqui essa questão pois o tipo de piso por onde você trafega vai determinar o seu modo de condução. Como na maior parte do tempo trafegamos por asfalto, tendemos a manter o mesmo grau de perícia em estradas de terra, o que não é nem um pouco adequado.

 

Observe que o nível de aderência entre o pneu e o solo muda consideravelmente a depender do tipo de piso, que tende a ser maior em asfalto e menor em pisos arenosos. Por isso os pilotos de Rally são considerados os melhores do mundo, pois enfrentam em uma única competição diversos tipos de piso como asfalto, areia, pedregulho e barro, ao contrário dos pilotos de formula 1 onde o circuito fechado conta com um asfalto irrepreensível, como deve ser, na verdade.

 

Lembre-se que em uma competição, a depender da condição da pista e do clima, muda o tipo de pneu, mas no caso de veículos de rua, o pneu permanece o mesmo, e é aí que reside o problema! Ou seja, se o pneu permanece o mesmo, mas a condição do piso muda, é a maneira de dirigir que deve se adaptar.

 

Em pisos com menor índice de atrito como terra, barro ou areia, reduzir a velocidade é a principal estratégia. Isso garante maior capacidade de frenagem, diminui as oscilações de carroceria em curvas e mantém a dirigibilidade. Manter a velocidade que se conduziria no asfalto nesses pisos pode fazer com que uma das rodas gire em falso, desestabilizando o veículo. Lembre-se que em piso de menor aderência o distanciamento de outros veículos deve dobrar, assim como a distância para os limites da via devem ser monitorados constantemente, afinal, qualquer erro de condução e o veículo desliza para fora da estrada.

 

Uma coisa que ajuda a manter o veículo na estrada é evitar frear bruscamente, pois em pisos de baixa aderência a tendência de travamento das rodas é maior, fazendo o condutor perder o controle do veículo. Além disso, o menor atrito entre o pneu e o solo aumenta, e muito, a distância de frenagem, fator este só agravado pelo aumento da velocidade. Então reduza a velocidade e pise com cuidado no freio.

 

Observe que alguns veículos fazem uso de pneus mistos como equipamento de série, ou seja, são pneus que atendem tanto a piso de terra quanto de asfalto, mas nesse caso o ganho nos pisos de baixa aderência que esse tipo de pneu presenta resulta em perdas em pisos asfaltados, ou seja, nesse caso, a atenção maior deve ser durante a condução na via pavimentada.

 

Então, se vai viajar a trabalho ou curtir o lazer, fique mais atento ao tipo de piso para ter uma condução muito mais segura. Até o próximo HIPPERDICAS!

 

MAIS HIPPER DICAS:

- Quanto maior o atrito com o piso, maior aderência, maior estabilidade;

- Em estrada de terra reduza em pelo menos 30% a velocidade;

- Não esterce bruscamente o volante em estradas de terra. Isso pode desgovernar o veículo;

- Pise progressivamente no freio até a parada total do veículo, sentindo a aderência dos pneus ao piso de terra.

Assine nossa
Newsletter
Acompanhe as Novidades